quinta-feira, 25 de março de 2010

Rubrica: "Casos da vida"

Ontem foi um dia muito triste para mim. Aliás, o dia até estava a correr bem, mas tudo piorou quando estava a ver o telejornal. Desde que a Manuela Moura Guedes foi com os porcos que eu não ficava tão tocado por algo relacionado com um noticiário.

Foi uma coisa horrível! Não quero voltar a ver uma noticia tão triste! Qual Haiti, qual Madeira qual carapuça.

Eles deviam avisar quando vão passar notícias tão chocantes!É que chorei baba e ranho!

Mas que noticia era esta?

Perguntam vocês apesar de eu não vos poder ouvir.

A noticia falava de uma triste realidade do nosso país. Algo que muitos de vocês desconhecem, e que vos pode chocar (recomendo aos leitores com historial cardíaco a não lerem mais), uma consequência negra da crise. O que se passa, é que aparentemente, devido à crise começam a existir...

...PAIS COM DIFICULDADES PARA MANTER OS SEUS FILHOS EM ESCOLAS PRIVADAS!
Eu vou esperar que vocês se recomponham.

Podemos continuar?

Óptimo.

Segundo a reportagem, os pais começam a ter dificuldades, devido à crise, em manter os seus filhos em escolas privadas, e não estou a falar em Universidades, estou a falar em escolas. As escolas estão a tentar resolver este flagelo, eliminando para isso certos custos, como por exemplo não utilizarem o autocarro da escola, esta medida obriga os alunos a...

...ANDAREM NOS MESMOS AUTOCARROS QUE AS PESSOAS NORMAIS!!!

Alguém tem que pôr termo a esta situação deplorável! Todo eu era lágrimas quando tomei conhecimento destes acontecimentos. Felizmente começam a levantar-se vozes contra esta situação, nomeadamente a deste senhor (proprietário de uma escola privada) que foi entrevistado no âmbito da reportagem:

Pessoa Extremamente Razoável: "É uma imoralidade que o estado nada faça para ajudar os pais que querem os seus filhos a frequentar a educação privada."

Concordo plenamente! É vergonhoso! Tem algum jeito uma pessoa querer colocar o seu filho numa escola privada e o estado não ajudar?

Querem obrigar estas pessoas a condenar os seu filhos a uma vida de marginais colocando-os em escolas públicas? Tenham vergonha!

Já agora, queria aproveitar para mencionar que tenho um Opel Corsa de 1992, mas sempre gostei de Mercedes, por isso acho imoral que o estado não me ajude a ter um Mercedes SL63 AMG!




quarta-feira, 17 de março de 2010

Rubrica: "As iludências aparudem"

Há coisas que me fazem confusão, há também outras que me provocam urticária, mas não foi para isso que viemos aqui pois não? Não.

Ora e o que é que me faz confusão neste momento? Neste momento o que faz confusão é o comportamento dos habitantes do planeta TV Shop. Não todos, não tenho nada contra o Mr. T, a sério que não tenho Mr. T, não estava a falar de si. Quem me irrita mesmo são os habitantes do planeta TV Shop que têm como habitat aqueles anúncios a estranhas geringonças para perder peso e manter a forma.

O que é que me faz confusão nessas pessoas? A indumentária. Se essas pessoas estão a usar geringonças para manter a forma no conforto do lar, porque raio estão de calção e top de licra? E para que são as luvas e os ténis?

Será que estas pessoas quando cozinham usam um daqueles chapéus desnecessariamente gigantes?

Será que quando conduzem o seu automóvel utilizam um capacete?

Serão estas pessoas as mesmas que ao mínimo sinal de que chegou a Primavera invadem as ruas das cidades equipadas a rigor, com tudo a que têm direito, incluindo fitas no cabelo e pulsos elásticos, para caminhar?

Meus amigos, caminhar não é desporto. Já alguém ouviu falar no campeão mundial de caminhar? Até para cuspir caroços de cereja existe um campeonato mundial, e para caminhar não, por isso se querem fingir que praticam desporto cuspam caroços.

O que se passa, e as pessoas não querem ver, é que está na moda fazer desporto. É fixe fazer desporto. E mais importante que fazer desporto, é parecer que se faz desporto. Nada é mais moderno do que ter um par de sapatilhas na mala do carro, não vá apetecer dar uma corridinha.

Diálogo:

Eu: "Então para onde vais?"
Outra Pessoa: "Ai, vou até ao ginásio, treinar."

Treinar? Treinar o quê? Treinar implica que depois se faça algo a sério posteriormente. Para que andam estas pessoas a treinar? Será que depois de treinarem andam pela rua a levantar automóveis, ou a correr que nem desalmados?

Mas infelizmente isto não se resume ao desporto. Cada vez mais, é mais importante parecê-lo do que sê-lo.

Que interessa ser boa pessoa quando se parece um filho da puta?

Ser honesto quando se parece corrupto?

Não interessa nada. O que interessa mesmo é o que se parece. É mais importante ter o equipamento do que praticar desporto. É mais importante ter mulher do que ser heterossexual ou noutros casos ter homem do que ser homossexual, depende da área do ofício.

Fico-me por aqui, que isto já está a passar de confusão a urticária.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Rubrica: "Dia de S. Valentim"

Ah o dia dos namorados é tão estúpido graças a deus. É das coisinhas mais parvas que existe. É um dia para os namorados serem românticos, ou seja o romance existe uma vez por ano e por obrigação social. Que coisa tão bonita!

Mas sempre me perguntei o porquê de o dia dos namorados ser no dia S. Valentim, digamos que já estava à espera que saísse mais uma estupidez de todo o esterco que é o dia dos namorados.

Vamos então saber quem era Valentim? Vamos? Bora lá.

Ora Valentim era um padre do século II DC, e o que é que o Valentim gostava de fazer? Ajudar cristãos, por exemplo casava-os. Naquela altura havia umas pessoas, que eram os Romanos, que não achavam muita piada aos cristãos. Quando o imperador Claudius II descobriu que o Valentim andava a ajudar os cristãos não achou muita piada e foi falar com ele. Ora o Valentim aparentemente não devia muito à inteligência e vai de tentar converter o Claudius. O Claudius não tava muito virado para essas coisas e vai de mandar bater no Valentim com bastões e posteriormente apedrejá-lo, não satisfeito mandou decapitá-lo e o Valentim foi desta para melhor.

Tão romântico não é? O dia dos namorados é no fundo a comemoração de um miserável ter sido bastonado, apedrejado e por fim decapitado.

Ai, o dia dos namorados é tão giro!!!

Rubrica: "Serviço Público"

Espaço agora ao serviço público e à estupidez pegada. Já há alguns anos que abandonei o hábito de cortar o cabelo em barbeiros para o passar a fazer em cabeleireiros. Para mim é melhor ter uma mulher a massajar-me o cabelo, do que um homem a cheirar a vinho de qualidade duvidosa. Mas não é só isso...

Num barbeiro enquanto esperamos podemos ler o Record, A Bola, O Jogo e o jornal local, tudo coisas que podemos ler noutros locais. No cabeleireiro temos toda uma panóplia de literatura que nos é completamente inacessível noutro local. Onde raio pode um homem ler a Maria ou a Nova Gente sem perder a masculinidade sem ser num cabeleireiro? Num cabeleireiro não há mais nada! Temos que ler mesmo aquilo! E confesso que gosto de fazer isso, a primeira coisa que faço quando chego a um cabeleireiro é procurar a Maria e na própria procurar o consultório sexual. Adoro. É espetacular!

Ora não imaginam a felicidade que se apoderou de mim quando descobri que o Correio da Manhã online também possui um consultório sexual. Como sou uma pessoa voluntariosa decidi ajudar estas pobres pessoas com os seus problemas:

Maria, Abrantes:

“A masturbação engravida?”

“Sei que não se engravida através da masturbação mas há uns dias saí com umas amigas, conversámos sobre homens e sexo e fiquei intrigada quando todas me afirmaram que se pode engravidar com a masturbação. Sempre li o contrário mas com tantas opiniões diferentes não sei o que pensar...”


Resposta: Cara Maria, posso lhe assegurar que desde que não use o pénis do seu namorado para se masturbar pode estar descansada...


Joana , Viseu :

“Perderei a virgindade através da masturbação?”

“Tenho 17 anos, masturbo-me com frequência e sinto muito prazer ao fazê-lo. Mas sinto alguma vergonha, porque não sei se assim me posso considerar ainda virgem. Será que ainda o sou?”

Resposta: Exactamente a mesma resposta à pergunta anterior...

Jaime, Bragança :

“Serei estéril?”

“Tenho 32 anos e sou saudável. Comecei a viver com uma mulher, por quem estou muito apaixonado, e começámos a falar em ter filhos. No entanto, assaltou-me o medo de que eu possa ser estéril, pois tenho um tio que é.”

Resposta: Jaime, o seu tio era estúpido?


Marta, Santarém :

“É possível violar um homem?”

“Gostaria de saber se é possível os homens serem violados. Como é que tal coisa é possível?”


Resposta: Marta, obrigado pela sua dúvida perfeitamente saudável. Denoto pela pergunta que se encontrou encarcerada nos últimos anos, sugiro que pesquise "Casa Pia" no Google.

Mariana, Coimbra :

“Serei velha demais para o sexo?”

“Tenho 65 anos e sou viúva. Agora namoro com um senhor de 59 anos. Damo-nos muito bem e temos uma vida sexual bastante boa. No entanto, as pessoas criticam-nos dizendo que somos ‘velhos demais’ para essas coisas e que devíamos ter juízo. Eles têm razão?”


Resposta: Não era necessário dizer a sua idade, o facto de dizer "...para o sexo?" revela logo que já não tem idade para essas coisas.

Rubrica: "Australopitecus, Homo Erectus, Homófobo, Homo Sapiens"

Quem me conhece sabe que não tenho absolutamente nada contra o casamento homossexual. Acho muito bem que tal esteja previsto na lei. Se a lei me obrigasse a casar com outro homem, isso era chato, mas se a lei apenas permite que quem quer o faça, o que isso me afecta a mim ou à sociedade em geral? Quando esta pergunta é feita, abre-se por magia a Caixa de Pandora da estupidez. Nada é mais hilariante do que os argumentos das pessoas que se opõem ao casamento homossexual.

Segundo os opositores do casamento entre homossexuais, este põe em causa a continuidade da raça humana, pois como se sabe os homossexuais não podem procriar. Vou contar uma história que explica este argumento:

No dia em que a lei que permite o casamento homossexual é aprovada um casal heterossexual está no seu casamento:

Padre: "Aceita casar com BLA,BLA,BLA?"
Noivo: "Yha"
Padre: "E você aceita casar com BLA,BLA,BLA?"
Noiva: "Tass!"
Padre: "Há alguém que tenha alguma coisa contra esta união?"
Pessoa Inconveniente: "Eu queria só dizer que foi aprovado o casamento homossexual!!!"
Noivo: "Alto e pára o casório!Sendo que foi aprovada a lei, assim caso-me antes com um homem!"


Ou seja, segundo este primeiro argumento, como é permitido o casamento homossexual, vai-se tudo começar a casar homem com homem e mulher com mulher, só porque é permitido, tal como antes ia começar tudo a abortar como se não houvesse amanhã, resultado: procriação nicles! Este argumento é estúpido e burgesso que chegue para eu ter que argumentar mais sobre isso.

Normalmente os opositores optam também por dizer:

"Epá, pois, realmente pá, eles até se podiam casar e tal pá, mas tipo pá, agora há coisas mais importantes para tratar pá, tipo a crise e cenas pá!"

Quantos dias foram perdidos na assembleia da república a criar e a discutir a lei? Quanto tempo demorou a lei a ser aprovada? Quanto tempo vale a felicidade de uma pessoa? E de milhares delas?

Felizmente a maioria da assembleia da república não é constituída por homófobos...

Rubrica: "Ai foi? Onde?"

Nem tudo na experiência humana é positivo. Há bastantes coisas negativas mesmo, digamos que se trata de 50-50 entre positivo e negativo. Há coisas por exemplo embaraçosas, e na minha modesta opinião as questões embaraçosas tão quase no topo das coisas negativas.

Embaraço é relativo a cada um. Há pessoas que sentem envergonhadas com a nudez, há outras pessoas que gostam de correr na rua com o pénis de fora enquanto cantam "Força, força companheiro Vasco, nós seremos a muralha de aço!". A mim o que me embaraça seriamente é quando estão a falar de alguma coisa e me deixam completamente a leste, e eu lá abano a cabeça e faço cara de quem concorda plenamente, mais ou menos o que faço quando estão a falar comigo numa discoteca e eu não estou a ouvir nada, uma vez ou outra ainda faço um esgar, como que um riso matreiro de quem diz "Isto é com cada uma!" apesar de não fazer a mínima ideia do que as pessoas estão a falar. É claro que com o passar do tempo começa a ser mais difícil sermos apanhados em coisas que nos passam ao lado, mas quando somos petizes isso acontece frequentemente, a mim acontecia várias vezes:

Colega: "Olha que aquela Carla Vanessa é um pouco ordinária!"
Respeitado Autor deste Blog: "A sério? Por acaso não acho..."
Colega: "Olha que é..."
RADB: "Hummm, não me parece..."
Colega: "Olha que dizem que ela já perdeu os três..."


Sempre que alguém usava esta expressão, arrumava comigo. Confesso. Não fazia a mínima o que queria dizer "perder os três", aliás se sabia que queria dizer que o material já tinha sido utilizado, não sabia era porquê que queria dizer isso. O meu desconhecimento da matéria obrigava-me a disparar logo: "Ah ca ganda puta!" apesar de eu e o meu colega estarmos a falar de uma qualquer rapariga de 12 anos que certamente mantinha até aquele dia toda a sua pureza.

Eu pensava para comigo...snaita um...rabo dois...três...três...será a boca?(já em petiz era muito ordinário graças a deus, salvo seja).

Portanto enquanto petiz, não sabia porque motivo se dizia perder os três, ok, não era só quando era petiz, foi até um pouco mais tarde, mais precisamente até há 3 ou 4 semanas atrás.

Ora, agora que eu sei porque se diz perder os três, estou feliz! Porquê? Porque claramente nenhum dos meus amigos sabia, passo a explicar a história.

Aparentemente, no Magrebe, era costume aferir da virgindade das moças que se iam casar, com uma moeda, porque aparentemente essa moeda era aproximadamente do tamanho do hímen, ora essa moeda era do mesmo do tamanho da moeda de 3 vinténs portuguesa, ou seja se a mulher fosse virgem ficava com a moeda, senão perdia a moeda, ou seja perdia os 3 vinténs, ou seja perdia os 3!

Ora claramente nenhum dos meus colegas sabia aquela história, aliás nenhum dos meus colegas sabia o que é o Magrebe naquela altura, aliás poucos deles sabem hoje em dia o que o Magrebe. Portanto não era só eu que vivia na ignorância e me sentia embaraçado, eram portanto conversas entre pessoas que não sabiam do que estavam a falar, quando podíamos perfeitamente utilizar outra expressão como:

"Já não anda como antes."
"Já não tá própria para consumo."
"Já mudou o óleo."


domingo, 22 de novembro de 2009

Rubrica: "Um blog gourmet!"

Estou a considerar mudar o slogan oficial do blog. Para quem não sabe o slogan oficial é: "O blog da moda!"

Já tem alguns meses este slogan e tem que ser actualizado. Enquanto reflectia sobre este assunto, ocorreu-me o seguinte slogan:

"O blog gourmet!"

Porquê gourmet? O que significa gourmet?

O que interessa o que significa gourmet?

Não interessa nada, porque gourmet é novo, é moderno e é pseudo-chic, por isso as pessoas gostam de tudo o que é gourmet!

Há uns dias atrás assisti á seguinte situação num hipermercado:

Jovem Chato a Promover Produto: "Minha Sra. gostaria de experimentar o nosso novo produto?"
Senhora: "E qual é o produto?"
JCPP: "Bem minha senhora, é um balde de merda."
Senhora: " Um balde de merda? Quer que chame o meu marido?"
JCPP: "Mas minha senhora, é um balde de merda GOURMET!!!"
Senhora: "Hummm...pode continuar..."
JCPP: "Se levar o nosso produto oferecemos ainda esta magnífica garrafa de urina de cão!"
Senhora: "Se for urina GOURMET, levo duas paletes!"


Ok, se calhar não assisti a esta cena. É provável que não tenha assistido. Ok, não assisti.

Mas o que me interessa é que me irrita esta nova moda do gourmet. Os portugueses continuam a ser extremamente provincianos com estas modas. Gostam de se diferenciar um bocadinho dos outros portugueses, e pensam que se comprarem coisas gourmet são um bocadinho superiores aos restantes tugas, são no fundo um bocadinho franceses.

É por isto que não deviam permitir a utilização de palavras francesas em Portugal, porque isso dá oportunidade aos portugueses de empinar o nariz.

Devia ter acontecido a gourmet o mesmo que aconteceu a outras palavras francesas que foram alteradas para ser utilizadas em Portugal, como por exemplo embrayage e chauffage que se transformaram em embraiagem e sofagem.

Queria ver como seria nesse caso...será que os portugueses quereriam produtos gurmetagem?

Hummm... Batatinha Frita Gurmetagem... Azeitinho Gurmetagem... Iogurtinho Gurmetagem...?

A mim não me parece muito fino...

Por favor proíbam a palavra gourmet e o blog da moda continuará a ser da moda.

sábado, 21 de novembro de 2009

Rubrica: "O Natal é quando um Belmiro de Azevedo quiser!"

Já lá vai algum tempo desde que aqui escrevi alguma coisa. A sondagem já terminou há algum tempo (e com uns magníficos 3 participantes), apaguei a playlist do leitor de mp3 e não pus uma nova...abandonei um pouco o blog da moda.

Cerca de 39% dos leitores habituais (ou seja duas pessoas) já me tinham questionado o porquê de tanta demora, nada temam, finalmente está de volta o blog da moda!

Eu sei que chego atrasado, que muitos de vós já não aguentavam com essa tão portuguesa saudade, mas o que é que não chega atrasado neste nosso Portugalinho?

Uma coisa apenas.

O Natal.

Eu não sei quando começa o Natal nos outros países, mas em Portugal começa a dia 1 de Novembro. No primeiro dia de Novembro não existe um único centro comercial que não esteja exageradamente natalício.

Ninguém pode dizer que os casamentos ciganos são um exagero por durarem uma semana quando o nosso Natal dura dois meses.

E não dura dois meses só nos centros comerciais, dura dois meses na televisão, na publicidade nas ruas, nos cafés e até nas bombas de gasolina.

Mas o Natal está a ficar mais triste, o Pai Natal do Fórum Coimbra que no ano passado tinha uma enorme e luxuosa cabana, limita-se este ano a ter uma paupérrima cadeira rodeada por uma mísera cerca. Provavelmente no próximo ano em vez do Pai Natal colocam apenas um duende com bafo a álcool e tabaco e nódoas de bifana no fato.

Estas épocas de crise retiram um pouco de magia ao Natal.

Os mais religiosos poderão dizer:

"Mas o Natal não é consumismo, é a comemoração do nascimento de Cristo!"


Mas os mais religiosos são parvos.

Os mais cócós poderão dizer:

"Mas o Natal não é consumismo, é amor e carinho!"


Mas os cócós são, como o nome indica, cócós.

O Natal é puro consumismo. É provavelmente a única forma bonita de consumismo.

O Natal não é o nascimento do JC ou amor ou carinho, o Natal são prendas. Ninguém quer saber do JC para nada no Natal, as pessoas querem é oferecer e receber prendas.

Este consumismo é feio e imoral? Não. Nada disso.

No dia 25 de Dezembro grande parte da humanidade troca prendas entre si, e isso, e nada mais, faz desse dia, o dia mais bonito do ano.

domingo, 4 de outubro de 2009

Rubrica "Preconceitos"

Esta é a segunda vez que falo em preconceitos num curto espaço de tempo, deve ser um tema que está na moda. Se calhar não deveria estar, mas está. Mas se da última vez falei do horóscopo, desta vez falo de Judeus. O povo Judaico é um dos povos mais massacrado com preconceitos, embora para nós portugueses isso não nos seja aparente, pois a comunidade Judaica em Portugal é diminuta.

Mas porquê falar nos Judeus agora? Vamos recrear uma conversa que tive há uns dias com um amigo meu:

Jovem Amigo: "Pavão, porquê é que os Nazis não gostavam dos Judeus?"
Eu: "Sabes, jovem amigo, na década de 30 a Alemanha encontrava-se em plena crise económica devido à Primeira Grande Guerra e à Grande Depressão, e os Nazis precisavam de um bode expiatório, e como os Judeus sempre foram bons negociantes e ocupavam cargos de relevo na sociedade, foram os escolhidos."
Jovem Amigo: "Poça! Tu és mesmo espetacular!"
Eu: "Pois sou."
Jovem Amigo: "E bem parecido!"
Eu: "Ok, já chega de conversa!"

De facto nunca ninguém gostou muito dos Judeus porque eles sempre tiveram sucesso, e isso provoca inveja. Sempre tiveram jeito para o negócio.

Os nazis não podiam com isto! Um povo semita a controlar a economia alemã? Não podia ser.

Lamento informar os Nazis, mas os Judeus não são os melhores negociantes do mundo. Nem chegam perto. Atentem no seguinte diálogo:

Eu: "Boa tarde, queria 200 gramas de fiambre, se faz favor."

A empregada da charcutaria pega em fiambre, pesa o dito e diz:

Empregada de charcutaria: "Olhe, 1,437 gramas, pode ser?"
Eu: "Hummm...pode!"

Nada bate este poder de negociação! Já viram alguém dizer que não a uma empregada de charcutaria? Eu nunca disse que não. Ainda bem que ela se limita a perguntar se podem ser mais meia dúzia de gramas! Imaginem que ela perguntava se eu podia fazer sexo com ela ali em frente à clientela? Provavelmente não conseguiria dizer que não! Afinal é a empregada da charcutaria!

Este imenso poder está-lhes conferido apenas a elas! Eu tentei usá-lo no outro dia mas em vão:

Depois de ter o respectivo fiambre dirigi-me à caixa para pagar:

Operadora de caixa: "Boa tarde, são 7.98€ se faz favor!"
Eu: "Olhe, tenho 1.32€, uma pastilha elástica tutti-fruti e um atacador sujo, pode ser?"

Acham que resultou? Qual quê...Eu não tenho o poder que elas têm!

Mais cedo ou mais tarde tentarão conquistar o mundo!

Temos que estar atentos a estas mulheres!

Não digo um Holocausto das empregadas da charcutaria! Nada justifica um Holocausto!

Mas temos que manter o olho aberto!!!

domingo, 20 de setembro de 2009

Rubrica: "Momento da Verdade 5"

Finalmente fechou-se um ciclo! Demorou 25 anos, mas finalmente acabou! Falo da saga de filmes "O Momento da Verdade". Tudo começou em 1984 com Daniel-san que aproveitou a embalagem e fez mais 2 filmes. O quarto filme teve como protagonista a actriz Hillary Swank e era muito fraquinho.

Em 2009 chega o novo filme da série, "O momento da verdade 5", protagonizado por Manuela Ferreira Leite, o filme é também conhecido como "Karate Velha".

Farta de levar na cabeçinha dos outros meninos da política, Manuela-san procurou ajuda de alguém com sabedoria sobre luta política. Foi nesse momento que Manuela-san encontrou o seu mestre, Pacheco "Miyagi" Pereira.

Manuela-san aprendeu então com Pereira-sensei o caminho a seguir na batalha das legislativas, o caminho da verdade, o caminho da honestidade. Mas Manuela-san pensou e reflectiu:

"Mas eu só tenho merda na cabeça, porque raio de motivo hei-de ser sincera e honesta?"

Mas Manuela-san confiou em Pereira-sensei, e saiu merda a rodos da sua boca:

"Investimento público só serve para empregar ucranianos e cabo-verdianos!"
"O casamento tem como objectivo a procriação!"
"Portugal precisa de uma suspensão da democracia!"
"Na Madeira não existe asfixia democrática!"
"O eng. José Sócrates matava a mãe e o pai para depois poder dizer que é órfão!"

Mas porque motivo Pereira-sensei permitia que Manuela-san fosse tão honesta ao ponto de dizer estas barbaridades?

É neste momento que ocorre o plot twist e descobrimos que afinal Pacheco "Miyagi" Pereira tem um arranjinho com o líder do dojo "Lingua-de-Kobra Kai", Marcelo Rebelo de Sousa-sama. Sousa-sama está fartinho de se limitar a mandar bitaites na televisão, e quer voltar à vida política activa, algo que pode perfeitamente acontecer caso Manuela-san perca com Sócrates-san.

Este filme estreou há umas semanas atrás e estará em exibição até ao próximo dia 27.